4 de dezembro de 2020

Brejo da Paraíba

A sua notícia está aqui!

Principal representante de Dr Ramon (candidato a prefeito pelo MDB do Município de Dona Inês) detalha suposto esquema de compra de votos em áudio vazado

2 min read

Em áudio vazado que circula por grupos de whatsapp na cidade de Dona Inês, o ex vereador e filiado ao MDB, Carlos Antônio da Silva, mais conhecido como “Lins”, que é notada e assumidamente representante de Dr. Ramon (candidato a prefeito pelo MDB no município de Dona Inês), conversa com uma eleitora sobre o esquema utilizado pelo seu candidato a prefeito para a compra de votos em troca de serviços médicos, medicamentos e exames, que seriam oferecidos na clínica Santa Inês, que é de propriedade do Dr. Ramon, situada na cidade de Guarabira. No áudio, ele cita:
“É o seguinte, eu mesmo faço política, se você quiser um exame desse, o exame é muito caro (…) Aí depois o remédio… gasto… é mais de trezentos reais, então não tem como eu fazer um negócio desse só por fazer, não, primeiro tem que conversar com você pessoalmente para saber qual é a sua posição, porque nós não somos atendimento do SUS (…) Eu preciso ter uma conversa com você pessoalmente para que a gente se acerte primeiro, entendeu? Aí antes de falar com Ramon, primeiro tem de falar comigo (…)”.

A captação ilícita de sufrágio (compra de votos) é ilícito eleitoral punido com a cassação do registro ou do diploma do candidato e multa, de acordo com o artigo 41-A da Lei das Eleições (Lei nº 9.504/1997), e inelegibilidade por oito anos, segundo a alínea ‘j’ de dispositivo do artigo 1º da Lei Complementar nº 64/90 (Lei de Inelegibilidades), com as mudanças feitas pela Lei da Ficha Limpa (LC nº 135/2010).

Ouça o Audio:

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *